terça-feira, 22 de janeiro de 2008

Velha Poesia Árabe na Península Ibérica (V) - (Ibn Hazm de Córdoba) - O Amor

Consagro-te um amor puro e sem mácula:
no meu íntimo está profundamente gravado e escrito o teu afecto.
Se no meu espírito houvesse mais alguma coisa além de ti,
arrancá-la-ia com as minhas próprias mãos.
Não quero de ti outra coisa senão o amor;
para além disso não peço nada.
Se o tiver,
a Terra inteira e a Humanidade
Serão para mim como montes de pó,
e os habitantes do país, insectos.
.
O meu amor por ti,
que é eterno por sua própria essência,
chegou ao apogeu,
e não pode nem minguar nem crescer.
Não tem mais causa nem motivo
do que a vontade de amar.
Quando uma coisa tem a sua causa em si mesma,
ela goza de uma existência
que não se extingue jamais.
.
Quando me vou do teu lado
sou como um prisioneiro a quem levam ao suplício.
Ao voltar para ti, corro como a Lua Cheia
quando atravessa os confins do céu.
Ao partir de ti,
faço-o com a morosidade
com que se movem as estrelas distantes.
.
(Ibn Hazm, de seu nome completo Abu Muhammad Ali Ibn Hazm. Nasceu em Córdoba, no ano de 994, e faleceu em Montíjar, em 1064. Foi autor do famoso "El Collar de la Paloma", de onde se extraem os versos acima).

sábado, 19 de janeiro de 2008

Pintores da Península Ibérica - Pepa Calvo (Espanha)

"Trincherazo"

Pátio de Miraflores

Menina Olhando pela Janela

Esquimó

Paisagem Inglesa

Homenagem a Tiépolo

Chefe Índio

Paisagem Rochosa

Menino Africano

O Meu Recanto Favorito

Homenagem a Velázquez

"Bodegón" Com Flores